Quarta-Feira, 12 de Agosto de 2009 - 09h20

altera o
tamanho da letra

Tarde de Campo sobre enxertia em videiras


Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura Camaquã

No dia 1° de agosto, com o objetivo de aperfeiçoar os conhecimentos em enxertia em videiras foi realizada uma tarde de campo, na propriedade do produtor Eduardo Molon, com apoio técnico da Embrapa Uva e Vinho de Bento Gonçalves.

Na oportunidade foi feita a enxertia de mais de 600 mudas e os produtores receberam orientações sobre: porta-enxerto e enxerto mais adequados para a nossa região, tipo de enxertia de inverno (feita sobre cavalo de um ano, de garfagem de fenda cheia e duas gemas, atado e tapado totalmente com serragem ou terra ) e dificuldades de se obter um cavalo sadio.

No Brasil a videira vem sendo explorada comercialmente a mais de um século e se firmou como atividade sócio-econômica de importância relevante, inicialmente em regiões de clima temperado do nosso Estado, Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais e posteriormente, em regiões de clima tropical e semitropical, especialmente no Vale do Rio São Francisco em áreas baianas e pernambucanas, no Norte do Paraná, Noroeste de São Paulo e Norte de Minas Gerais. Ultimamente o cultivo de videiras se expande para regiões do país sem nenhuma tradição em viticultura, como o Centro-Oeste e a Campanha do nosso Estado.

Para o desenvolvimento de uma viticultura rentável é necessário que os vinhedos sejam implantados com mudas de boa qualidade, com sanidade e pureza varietal comprovada e dentro dos padrões estabelecidos pela legislação oficial.
  • Compartilhe

Deixar um comentário

Siga-nos no Twitter
criar capaafubra_lateral_capaJuliana Peter - NovoSão José